Como o design thinking auxilia no processo criativo?

Categories Sem categoria

Por muito tempo as pessoas acreditaram que o processo criativo era algo quase “sobrenatural”, como se alguém com criatividade tivesse um dom especial e somente assim seria possível inovar.

Na verdade, essa ideia não faz o menor sentido. Afinal, todos nós somos criativos. E é graças a essa criatividade que evoluímos como sociedade, fazendo o fogo, inventando a roda e criando vários mecanismos importantes nos dias atuais.

Se você não se sente assim tão “inovador”, não tem problema. Algumas vezes é preciso dar uma estimulada nessa área — e o design thinking é uma ferramenta excelente para isso.

O que é o design thinking?

Podemos traduzir literalmente a expressão para “pensar como um designer”. E isso não significa buscar conceitos artísticos, mas sim uma maneira de resolver os problemas e encontrar novas soluções usando o processo dos designers. Isso envolve alguns preceitos como: pesquisas, brainstorms, prototipagem e testes.

Ou seja, podemos entender o design thinking como uma maneira diferente de pensar e entender os problemas e desafios, que utiliza as ferramentas básicas do design para conseguir inovar.

Como ele auxilia no processo criativo?

Ótimo. Agora que você já compreendeu o que é o design thinking, vamos entender de que maneira ele auxilia no processo criativo e na inovação.

A metodologia se baseia, principalmente, em maneiras de treinar o seu olhar para enxergar os problemas, as dificuldades ou as situações sob um outro ponto de vista, gerando uma solução que consiga resolver essas questões.

Justamente por isso, o design thinking pode ser aplicado em praticamente tudo, desde o mundo dos negócios, até estudos, planejamento de uma viagem, controle financeiro, entre outros.

Para conseguir isso, a dica é seguir os 5 passos primordiais do design thinking.

Descoberta

O primeiro passo é entender a situação ou o problema, Muitas das inovações surgem de questões que convivemos diariamente. Por exemplo, um operador de máquina em uma empresa pode notar que perde muito tempo fazendo determinados trâmites na linha de produção, e deseja encontrar maneiras de reduzir esse tempo perdido, otimizando o trabalho.

Interpretação

Após identificar o problema ou a situação que se deseja modificar, é hora de analisar todos os aspectos que estão relacionados com essa questão, conseguindo se colocar no lugar das outras pessoas.

Você pode pensar se o problema afeta muitos indivíduos, se alguém antes de você já propôs alternativas e soluções e como resolver essa questão pode impactar a vida de outras pessoas.

Ideação

Essa fase também pode ser chamada de brainstorm e é uma verdadeira “chuva de ideias”. Vá anotando tudo o que lhe vier à cabeça e que tenha relação com o problema que está tentando solucionar.

Quando bem feita, essa etapa é extremamente importante, porque você poderá linkar ideias que, aparentemente, pareciam não ter nenhuma conexão e assim criar uma solução realmente inovadora.

Prototipagem

Agora é a hora de testar as suas ideias. É claro que é impossível testar todas elas, então você deverá agrupar as parecidas, combinar e confrontar, encontrando aquela solução que lhe pareça mais interessante, além de viável (em relação aos recursos que você dispõe).

A partir de então, coloque-as para “rodar” no mundo real, fazendo testes e analisando a performance da sua ideia, descobrindo se a solução funcionará como o esperado.

Resultados

Pode ser que nesse estágio você já esteja feliz da vida porque a sua ideia deu certo, ou não. E tudo bem, porque é possível aprender com as suas falhas, identificando o que deu errado e retornando ao início do processo, buscando novas ideias que possam solucionar a questão.

Como faço para ser mais inovador?

Já está convencido de que o design thinking ajuda você a ser mais criativo e inovador? Então, comece a colocá-lo em prática em todas as esferas da sua vida.

Para tornar a metodologia mais eficaz, nós separamos outras dicas que podem ajudar.

Faça um curso de design thinking

Embora a abordagem pareça simples, é sempre interessante buscar um conhecimento mais sólido, garantindo que você terá resultados mais promissores e conseguirá passar por um processo criativo que resulte em inovação.

Existem muitas escolas destinadas a ensinar essa abordagem, e o importante é buscar por uma que realmente tenha experiência na área e, claro, que use metodologias e técnicas que favoreçam o olhar criativo.

Busque inspirações

Muitas pessoas acabam “emperrando” na fase de brainstorm. Para conseguir ter mais ideias, é essencial estar sempre em busca de novas inspirações, desafiando o seu cérebro a criar novas formas de pensar.

Então, tente aprender uma nova língua, faça caminhos diferentes para ir a lugares da sua rotina, conheça novas pessoas, assista filmes fora do gênero que você mais gosta, enfim, experimente coisas novas.

Mapeie as suas ideias

Inovar não é apenas ter um momento de epifania criativa, mas sim trabalhar duro para que as ideias tragam resultado. Anote todas as ideias que você têm e também a evolução de cada uma delas nos seus testes, assim será mais fácil identificar o que deu certo e errado e por quais motivos.

Não tenha medo de testar

E também de falhar. Saiba que inovar é justamente isso, testar e testar até encontrar uma solução que realmente funcione. Você verá que dificilmente a sua primeira ideia será a que resolverá o problema, mas aprenderá a cada nova tentativa e conseguirá um resultado muito melhor se não tiver medo de ousar.

E, então, já está convencido de que o design thinking é um ótimo aliado para potencializar o seu processo criativo? Aproveite e compartilhe esta dica com os seus amigos nas suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *